Três projetos do Ministério Público do Estado do Acre integram a lista de 27 iniciativas selecionadas pela Comissão de Planejamento Estratégico do Conselho Nacional do Ministério Público (CPE/CNMP) para a etapa final do Prêmio CNMP 2017. Os finalistas disputam em nove categorias e apenas treze unidades de todos os ramos do MP estão concorrendo.

O MPAC ocupa posição de destaque, pois é uma das três unidades ministeriais com mais de dois projetos selecionados para a premiação. Em cada categoria, há três projetos na disputa pelo primeiro lugar.

Os vencedores serão conhecidos no dia 2 de agosto, durante solenidade de abertura do 8º Congresso Brasileiro de Gestão do Ministério Público, em Brasília (DF).

Os projetos

Na categoria “Profissionalização da Gestão” foi selecionado o projeto “Educação continuada”, que trata da estruturação física e pedagógica do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (CEAF).

Trata-se de uma iniciativa inovadora para intensificar o desenvolvimento de competências e a capacitação permanente de membros e servidores, estimulando o conhecimento humanista e multidisciplinar.

Em 2013, na gestão da procuradora Patrícia de Amorim Rêgo, atual diretora do CEAF, foi possível realizar o primeiro curso de formação de analistas que formou, em dois anos, 90 servidores. Dois anos depois, o centro de estudos ganhou nova sede (com biblioteca, laboratório de informática, três salas de aula, sala multiuso e auditório com capacidade para 180 pessoas) e implantou sua escola virtual.

No ano passado foi realizado o primeiro curso de formação de membros, com uma matriz curricular por competências robusta, de conteúdos teóricos e práticos direcionados para a formação das competências imprescindíveis à atuação ministerial, voltada para a garantida do Estado Democrático de Direto e a transformação social.

“O CEAF é um dos órgãos mais importantes do Ministério Público, que trabalha a sensibilização, a educação e o aprimoramento de membros e servidores. A qualidade do nosso trabalho é proporcional ao desempenho do CEAF, e se o CNMP reconhece e premia o centro de estudos, ele também está reconhecendo a qualidade do trabalho do Ministério Público do Acre, nas suas atividades-meio e, especialmente, nas suas atividades-fim”, comenta a procuradora Patrícia Rêgo.

 

Narco: Combate ao crime organizado e as rebeliões em presídios no Acre

Na categoria “Redução da Criminalidade” está concorrendo o projeto “Narco: Combate ao crime organizado e as rebeliões em presídios no AC”, que trata, essencialmente, do trabalho capitaneado pelo  Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) com o objetivo de desarticular o braço das organizações criminosas, por meio de operações integradas com inteligência no Acre.

 

 

 

Prêmio de Jornalismo

Na categoria “Comunicação e Relacionamento” o Prêmio de Jornalismo é o projeto representante do MPAC. A iniciativa surgiu em 2010 com a finalidade de incentivar a inserção de notícias positivas na mídia, reconhecendo e estimulando a atuação da imprensa como difusora de informações e formadora de opinião. Em 2012, o  projeto ganhou o primeiro lugar no X Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça, na categoria Relacionamento com a Mídia. Ainda em 2012, serviu como base para o I Prêmio de Jornalismo do Conselho Nacional dos Procuradores Gerais (CNPG).

‘Somente o Ministério Público do Acre e de outros dois estados tiveram mais de duas iniciativas selecionadas para a etapa final da premiação. Estamos felizes e confiantes de que mais uma vez nossos projetos serão reconhecidos como práticas que estão alinhadas ao Planejamento Estratégico Nacional, e que servem de exemplo para as demais unidades do Ministério Público brasileiro”, destaca o procurador-geral Oswaldo D’Albuquerque.

Kelly Souza – Agência de Notícias do MPAC