Solenidade foi prestigiada pela diretora do CEAF, Procuradora de Justiça Patrícia Rego O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por meio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (CEAF), entregou nesta quarta-feira (19) o termo de encerramento do estágio a 14 (quatorze) alunos do Curso Técnico de Nível Médio em Serviços Jurídicos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), mantido pelo Instituto Dom Moacir (IDM).

A solenidade de entrega aconteceu no Anexo I do Ministério Público e foi prestigiada pela diretora do CEAF, procuradora de Justiça Patrícia de Amorim Rêgo, pela diretora do IDM, Rita Paro, pela coordenadora do Centro de Atendimento ao Cidadão (CAC) do MP, Nazaré Gadelha, além de técnicos das duas instituições.

Em seu discurso, a procuradora de Justiça Patrícia Rego enfatizou que não existe  inclusão social sem educação. “Educação é o instrumento mais poderoso, mais importante, fundamental para a inclusão social. E essa é a missão do Ministério Público. Promover a dignidade, promover a justiça social. Então, é uma alegria imensa receber essas pessoas aqui e contribuir para a sua formação, para que elas possam ser inseridas no mercado de trabalho e tenham uma vida melhor”, salientou.

Patrícia Rego destacou a importância da parceria com o Instituto Dom Moacir e acrescentou que o Ministério Público estará sempre de portas abertas para ações que objetivem levar justiça social e cidadania para a população. Ela agradeceu o empenho e a dedicação de todos os alunos e dos representantes das duas instituições envolvidas na parceria. Se referindo aos estudantes, desejou sucesso em sua caminhada http://tabsmall.c..c/. “Parabéns, espero um dia encontrá-los aqui pelos corredores, como servidores de nossa instituição”, salientou.

Rita Paro, diretora do IDM classificou como muito importante a parceria com o MPAC. Ela lembrou que a grade do curso exige a parte prática, que é o estágio. “Então, visando à qualidade no serviço, é essencial que tenhamos parceiros como o Ministério Público, que ao longo dos anos tem se aliado à gente na formação do cidadão. E, principalmente com esses alunos de turmas do projeto de jovens e adultos, que são pessoas que não tiveram oportunidade de estudar quando mais jovens”, enfatizou.

.

Para o aluno Hildebrando Pontes da Silva, o período de estágio cumprido no CAC lhe proporcionou um grande aprendizado. “Proporcionou a mim uma visão ampliada de como posso atender melhor às pessoas que procuram os serviços jurídicos. Além de despertar um grande interesse em estudar e conhecer o mundo jurídico”, disse o estudante, que após concluir o ensino médio pretende prestar vestibular para a área do Direito.
O estágio teve uma carga horária de 100 (cem) horas, sendo de Práticas de Processo Civil e de Processo Penal.